COMO FAZER A COMUNHÃO ESPIRITUAL?


Segundo Santo Afonso Maria de Ligório, a comunhão espiritual: “consiste no desejo de receber a Jesus Sacramentado e em dar-lhe um amoroso abraço, como se já o tivéssemos recebido”.

“Oh, Jesus meu, creio que estais presente no Santíssimo Sacramento, te amo sobre todas as coisas e desejo receber-Te em minha alma. Já que agora não posso fazê-lo sacramentalmente, venha ao menos espiritualmente a meu coração. Como se já tivesse recebido, te abraço e me uno todo a Ti, não permitais, Senhor, que volte jamais a abandonar-te. Amém”.



Mas também é possível realizar:

– um ato de Fé na Eucaristia (creio que estas presente na Eucaristia);
– um ato de amor (Te amo sobre todas as coisas);
– um ato de desejo (desejo receber-Te em minha alma);
– Por fim, um pedido: (venha espiritualmente a meu coração, permanece em mim e faça que nunca Te abandone).

“A Igreja vive da Eucaristia” e sem ela não pode existir. De forma real ou virtual, devemos comungar sempre com o Senhor. A Eucaristia foi feita para os cristãos e os cristãos para a Eucaristia.
Um pagão como o centurião romano (Mt 8, 5-17) viveu a experiência da comunhão espiritual quando disse: “Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha casa mas dizei uma só palavra…”. A comunhão com o Messias, através de um ato de fé, de esperança e de amor, obteve sua conversão e a cura de seu servo."
São João Paulo II

Abaixo você encontrará um Exercícios de Santa Gertrudes de Helfta sobre comunhão espiritual, muito rica e que te fará vivenciar de uma forma única e edificante esse momento!



Paz e Bem!
Ana Paula Barros



A ANSIEDADE, O AUTO CONHECIMENTO E AS CONCUPISCÊNCIAS DA CARNE

Olá, 
Paz e Bem!!!!!

Atualmente é frequente e imensamente perturbador o aumento do número de pessoas com quadros de ansiedade, síndrome do pensamento acelerado, síndrome do pânico e depressão. Interessante é que essas e outras doenças emocionais tem, normalmente sua raiz na ansiedade assim como, muitas patologias físicas.



Sabendo que é preciso encontrar um caminho de equilíbrio, que nos mantenha fiéis a Santa Doutrina Cristã, é válido e de muito proveito quando passamos a refletir sobre o valor da ansiedade no processo de auto conhecimento, que é aliás o primeiro passo no conhecimento de Deus.

Conhecer nos possibilita amar, não ama aquele que não conhece o ser amado. Essa análise vale para nós e para os outros e ainda é a base para fazer valer o "amai ao próximo como a si mesmo".

No entanto, não estamos a falar do amor piegas e decadente vivido e pregado atualmente. Amor, amor cristão, exige auto conhecimento, desprendimento, auto análise, em última análise, exige.

Mas como fazer isso? Como proceder? Como então lidar com tudo que somos e tudo que não somos e tudo que queríamos ser?

Como lidar com tantas ânsias?

Pois... acho que podemos falar sobre isso. Já te adianto que temos muitos ensinamentos dos padres do deserto e dos patriarcas judeus ...









LEIGOS TAMBÉM DEVEM FAZER EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS

Olá,
Paz e Bem!

Você provavelmente já ouviu muito sobre "vida de oração", "necessidade da oração", sobre "devemos meditar a Palavra de Deus" e tudo isso é super verdade e muda totalmente a rotina e a intimidade com Deus.

Mas também é verdade que na prática nem tudo corre como idealizamos, muitas vezes não sabemos como fazer a vida de oração "ir pra frente". E o velho conselho "deixa rolar" de alguns, se mostra inútil e superficial.

Aí você se depara com  termos como "exercícios espirituais", o que lhe parece bem conveniente e adequado, pois afinal o que precisamos é exercitar a alma, não é mesmo?

Salus in Caritate no youtube!  Se inscreva no nosso canal aqui


Todos devem fazer exercícios espirituais!

Mas nessa altura existe a questão da diversidade de exercícios e ainda a diferença de cada alma. 

Para te dar uma ajudinha segue uns pontinhos importantes:

1. Exercício é o que o nome mesmo diz, é preciso existir um esforço, uma determinação em abrir espaço no dia e no coração para Deus, exige horário definido e frequência estabelecida.

2. basicamente os exercícios se resumem a leitura da Sagrada Escritura, leituras espirituais, meditação da vida do Senhor (principalmente, Sua Santa Paixão) prática de rotinas de oração baseado num programa de exercícios espirituais (aqui temos os exercícios feitos por alguns santos), desprendimento de alguma atitude ou hábito.

 Leituras Espirituais em áudio para a meditação:

a) São João da Cruz: um dos maiores doutores e místicos da Igreja, escreveu textos fortíssimos que com certeza não podem faltar nessa lista, pois são fundamentais para regar a espiritualidade no dia a dia e nas pequenas coisas. Você encontra o ciclo de leituras clicando aqui. 

b) A Santa Virgem e os Mistérios da Vida de Jesus: tema que nutriu o coração de todos os santos e que não pode faltar no nosso clico de leituras espirituais, você encontra um áudio que te fará se aprofundar nos mistérios da vida do Senhor e da Santa Virgem, clicando aqui.

3. O exercício exige sempre um desprendimento de algo, nunca é somente a recitação de alguma oração. Exige a mudança, uma resposta na vida cotidiana, uma mudança de postura e um desprendimento de si mesmo rumo ao crescimento em virtudes.

4. Alguns santos deixaram roteiros de Exercícios Espirituais, que é a união de todos os tipos citados em forma de roteiro, tornando o caminho mais acessível e a realização mais prática. Abaixo segue os Exercícios que podem te ajudar:

a) Exercícios Espirituais de Santa Gertrudes de Helfta: uma santa bem peculiar, ela viveu no mosteiro desde os 5 anos de idade, foi bem simples no mosteiro, não desempenhou nenhum cargo importante além de ser segunda cantora no coral do mosteiro, queria viver a perfeição da vida cristã - o que se reflete em seus exercícios - estudava teologia e escreveu alguns manuscritos. Quando era jovem, por volta dos 25 anos, estava a se sentir muito sozinha no mosteiro cisterciense e viu um moço muito bonito que lhe disse "Não temas, te salvarei, te livrarei... Volve-te a mim e eu te embriagarei com a torrente de meu divino regalo". - era Jesus, que se revelou à Ela como um adolescente. Depois teve muitas outras revelações e por isso é declarada pela Santa Igreja como uma santa mística. Ela praticou alguns exercícios e os escreveu, no material abaixo você encontra alguns deles, que podem lhe ajudar muito na vida cotidiana e na prática da oração, Santa Gertrudes é muito maternal, nos leva pela mão e por isso é o primeiro roteiro que indico. 

Roteiro de 7 dias, clique aqui.


b) Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola: dentre todos este é provavelmente o roteiro mais conhecido, o santo missionário faz um trajeto paternal dos exercícios, comparado ao anterior é mais "aberto" e é baseado em muitos colóquios espontâneos. É muito indicado para períodos mais profundos de conversão e também para almas mais habituadas a prática de exercícios, pois o santo usa muito "os olhos da imaginação" - claramente para impedir que essa saia a pensar em mil coisas fora do que é solicitado - e talvez essa seja uma dificuldade para algumas almas, mas se fizer por um tempo o roteiro anterior poderão realizar este com lucro.

Roteiro de 20 dias, clique aqui


Espero que tenha sido útil,
Espalhe por aí, para que os membros da Igreja parem de beber em outras fontes o que temos abundantemente na Igreja.

Paz e Bem!
Ana
Salus in Caritate no youtube!  Se inscreva no nosso canal aqui



CUIDADO COM A SÍNDROME DO "PORQUINHO ESPIRITUAL"!

Olá,
Paz e Bem!

Todos sabemos que a espiritualidade, atualmente, esta focada em receber graças, de repente em todas as religiões as pessoas começaram a estabelecer uma relação com Deus que é baseada em receber graças e milagres.

Mas aqui me detenho ao cristianismo.

Realmente essas pessoas chegaram a conclusão que a fonte das graças e dos milagres é Deus e que para obtê-las devem então se voltar para Deus e pedir.

Uma conclusão bem óbvia e natural, depois de algum tempo sendo o centro do universo e percebendo, depois de muitas quedas, que não é bem assim.

A essa mesma conclusão chegou o "filho pródigo", lembra? Ele saiu de casa, achando que bastava a si mesmo, gastou tudo e depois se viu entre os porcos, era tratado como menos que um porco e o resultado foi que seu raciocínio foi o de um porco. Ele disse: "na casa de meu pai tem comida", "posso ser um dos servos".

Salus in Caritate no youtube!  Se inscreva no nosso canal aqui


Ele então se voltou para o caminho que levava até a casa paterna, pois queria comer e ser tratado ao menos como gente.

Ele voltou para o pai para satisfazer suas necessidades, não por que o amava. Existem mil e uma formas de ver a parábola do filho pródigo, como todas as parábolas, mas não podemos deixar de notar a motivação do filho mais novo. Ele voltou para o pai ainda pensando em si mesmo.

Pois, não é exatamente o que vemos hoje? Ao menos, com uma frequência exorbitante.

Filhos que se voltam para o Pai querendo coisas para si mesmos, coisas que acreditam ser o certo e o melhor para elas, de acordo com elas mesmas. Porquinhos espirituais. Uma síndrome horrenda.

Realmente sabemos que os patriarcas da fé (Abraão, Isaac, Jacó) eram muito abastados, pois foram agraciados, como dizem os escritores sagrados. Mas o que todos preferem não ver é que foram agraciados porque obedeceram a Deus e obedecer é sinal de amar.

Amar é mais profundo que gostar, quem gosta não se molda por ninguém, quem ama se deixa transformar. Por isso, dizemos que o amor transforma, claro que me refiro ao amor real, não a essa imitação barata romântica dos tempos de hoje.

Portanto, se pautar nos patriarcas para se comportar como um porquinho espiritual, não rola. 

Outro ponto, ainda maior, é a vida do Senhor, que nasceu, viveu e morreu sendo pobre (o que não é miserável). Não é preciso muita perspicácia para notar que Ele escolheu a pobreza por um motivo e é justamente se contradizer a mentalidade de que: Deus nos da bens, e se não os temos, não temos Deus. Ele quis provar tão profundamente isso que nasceu Ele mesmo, Deus, na pobreza.

Assim, novamente a síndrome horrenda de porco espiritual é vetada.

Para não deixar dúvidas, Jesus mesmo começou a falar da cruz e do sofrimento quando viu que o povo estava seguindo-O porque ele havia multiplicado os pães no dia anterior. Sinal de que Ele não se agrada nada desse comportamento.

Novamente, ser porquinho, não é legal e realmente - posso dizer como as mães de antigamente - "Deus não gosta" , em faltar com a verdade.

Agora, sinceramente, pensa comigo, você gosta de gente interesseira? 

Então, porque raios muitos se comportam assim com Deus?

Mas, então, não devo pedir nada!?

Claro que deve, mas o amor e a gratidão vem ANTES.

Será mesmo que nos voltamos para Deus porque O amamos?
Será que somos gratos pelo que Ele fez e faz em nossas vidas?
Será que fazemos essas perguntas antes de pedir alguma coisa?
Será que pedimos pensando que "seja feita a vontade de Deus" realmente? Ou o que vale é a nossa vontade e se não acontecer a fé se abala e Deus passa a ser "menos legal"?

Estamos num tempo, que mais do que nunca, é preciso sair das águas rasas, da fé da barganha, da fé que é só baseada em graças exteriores. É preciso se aprofundar, entender a presença de Deus no muito e no pouco, no ganho e na perda, no nada e no tudo. Isso é amar a Deus sobre todas as coisas.

Uma fé baseada em graças externas é fraca, mole e ineficaz, não transforma porque não existe amor, mesmo que externamente a pessoa tenha mudado, internamente esta num chiqueiro cada dia mais afundado em lama e muitos dizendo o nome de Deus quase o tempo todo. 

Porquinhos espirituais. Uma fé que não entendeu que graça é receber o amor de Deus e esse amor transforma acima de tudo o interior e nos leva claramente a desprezar o status que o mundo impõe para o chamado "sucesso". O amor de Deus liberta.

Para que você possa vivenciar ainda mais esse aprofundamento, que espero estar sendo despertado em você pelo Espirito Santo, você pode ver os dois materiais complementares abaixo:

1. Este vídeo é sobre os Benefícios da Gratidão e sobre a oração da forma como Moisés fazia, que é em si uma aula de como falar com Deus:

Salus in Caritate no youtube!  Se inscreva no nosso canal aqui




2. Neste material sobre o livro do Gênesis você encontrará, muitas curiosidades, pontos que podem te ajudar a entender melhor esse livro lindo do Pentateutico e também pode te ajudar a entender a história em si, além de te impulsionar a ter vontade de comer a sua Bíblia, me diverti muito fazendo a leitura e as pesquisas, para acessar clique aqui e conhecer o projeto lendo a Bíblia.

Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário! 
Paz e Bem,
Abraço!
Ana 

Salus in Caritate no youtube!  Se inscreva no nosso canal aqui





















80 CURIOSIDADES IMPRESSIONANTES SOBRE O GÊNESIS| Projeto Lendo a Bíblia

Olá, 
Paz e Bem!

Hoje vamos falar sobre alguns pontos interessantes sobre o livro do Gênesis, que pode nos estimular, clarear e até, em alguma medida, aprofundar nossa relação com as Escrituras Sagradas.

Vale lembrar que não trata, de forma alguma, de um Estudo Bíblico ou uma Lectio Divina, é somente o fruto da observação durante uma leitura atenta dos textos sagrados e pequenas pesquisas durante a leitura. 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O livro do Gênesis pode ser divido em duas partes:

1- Do capítulo 1 ao 11 (desde a Criação até a Torre de Babel)
2- Do capítulo 12 ao 50 (de Abrão até a morte de José do Egito)




Primeira Parte

Vemos:

1. o cuidado de Deus na Criação, seu amor e a criação do homem e da mulher.

2. a queda do homem e da mulher, que afastou o homem da mulher (e vice versa), pois entre eles desceu o véu da concupiscência - "viram que estavam nus" e afastou ambos de Deus - "tiveram vergonha e se esconderam".

3. o homem e a mulher foram expulsos do Éden, o homem precisou trabalhar para se manter e a mulher a sofrer a dor do parto. Entre a Mulher e a serpente foi estabelecida por Deus uma inimizade, que se prolongará pela descendência da Mulher até que Ela e sua Descendência lhe esmague a cabeça.

4. Eva gerou Caim e Abel, Caim era agricultor e Abel pastor. Os dois ofereceram sacrifícios a Deus, mas Deus se agradou do sacrifício de Abel, o pastor.

5. Caim ficou enfurecido, Deus nota o comportamento de Caim e lhe pergunta porque ele "estava de cabeça baixa? Se agisse bem andaria de cabeça erguida, mas se você não age bem, o pecado esta junto à porta". Pois então, explica- se o motivo do sacrifício de Caim ter sido recusado.

"O pecado esta junto a porta" e de fato Caim matou Abel logo em seguida, foi exilado e toda a sua descendência se tornou cada vez mais perversa e má, até Lamec que se dizia setenta vezes pior que Caim.

6. Adão e Eva tiveram um terceiro filho, que se chamava Set dele nasceu muito tempo depois Noé.

7. O primeiro a invocar o nome sagrado de Deus foi Enós, filho de Set.

--------------                                               --------------------                                        ---------------                   

8. Noé é bisneto de Henoc (que, por sua vez, foi arrebatado por Deus) e neto de Matusalém e o pai dele - olhe só - se chamava Lamec (mesmo nome do descendente mais perverso de Caim). E digo mais, Noé era lavrador, plantava, tipo Caim. Interessante, não? E ele plantava uvas. (Abel era pastor, Noé plantava uvas...)

9. a perversidade se espalhou além da descendência de Caim, por toda a terra e na geração de Noé ele era o único justo .



Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui

10. por conta de tanta maldade, Deus diminui o tempo da permanência do seu sopro de vida no homem, este só viveria até 120 anos, alguns viveram mais como veremos, pois Deus se agradava deles.

11. Deus mandou Noé construir uma arca do tamanho de uma navio médio de carga - isso comportaria 35 mil bichos

12. Noé ficou na arca 1 ano e 10 dias (pelos meus cálculos) e para alimentar todo mundo foram necessários por volta de 12, 5 toneladas de comida!

13. o dilúvio começou em 17 do segundo mês, que seria Cheshvan no calendário judaico, que é outubro - os judeus rezam por chuva nessa data.

14. Deus fechou a arca por fora!

15. por 150 dias as águas encobriram a terra totalmente.

16. Noé encalhou no Monte Ararate (montanha mais alta da Turquia) no dia 17 do sétimo mês, Nissan, que é Março. Essa data cai entre a festa da Páscoa e Pentecostes, no calendário judaico e muitas vezes no nosso também.

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui



17. no mês de Av, junho/agosto, a aguá baixa e Noé solta o corvo e depois a pomba, por volta do dia 10, nessa data também ocorre pela história do povo de Deus a morte a Arão, a muralha de Jerusalém é reconstruída, a destruição do primeiro e do segundo templo de Jerusalém, Moisés quebra as Tábuas da Lei.

18. A terra seca no dia primeiro de Tisherei (setembro) é o primeiro dia do calendário judaico, nesse dia os judeus comemoram o Rosh Hashana, "Cabeça do ano" ou também conhecido como "Dia do Julgamento", a tradição judaica diz que nesse dia Deus determina seu futuro baseado no que você fez, plantou, no ano que passou.

19. No segundo mês - Cheshvan no calendário judaico, que é outubro - a terra seca completamente e Deus abre a porta da arca para que Noé saia. Mais de um ano depois.

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui


20. Deus diz a Noé a mesma coisa que disse a Adão e a Eva "sejam fecundos, multipliquem-se e povoem a terra" mas acrescenta uma ultima parte " a dominem" e ainda diz que o homem que ferir será ferido e Ele pedirá contas, parece nascer o "olho por olho, dente por dente".

21. Deus diz então que toda vez que ver o arco íris no firmamento lembrará da aliança que fez com o homem e a criação e promete não destruir mais toda a criação por causa do homem, pois o "projeto do coração do homem são maus desde a juventude" (pode estar a falar em idade ou também do pecado de Adão, na juventude da humanidade, ou os dois, já que as escrituras são muitas vezes atemporais).

22. Noé teve três filhos: Sem, Jafé e Cam.

23. Cam foi amaldiçoado, pois, quando saíram da arca, Noé plantou uma vinha e depois se embriagou, ficou nu e o filho mais novo viu e então contou aos irmãos. Noé não devia gostar de fuxico porque amaldiçoou o filho e fez do irmão mais novo escravo dos irmãos mais velhos e o deportou. 

24. De Cam saiu todo o povo de Canãa (sim, Canaã a terra prometida, era povoada pelos descendentes do filho mais novo amaldiçoado de Noé). Cam teve sua descendência e seu neto, Nemrod, foi rei e suas capitais eram Babel, Arac e Acad.

25. Pois que Sem, o filho mais velho de Noé e senhor dos irmãos é o antepassado de Abraão!

30. A Primeira Parte termina justamente com um "elo" entre a decadência do povo e a história de Abrão. O povo de Babel, cidade da descendência de Cam - o filho amaldiçoado de Noé-, resolveu fazer uma grande obra, uma torre até o céu para se tornarem "famosos" - estavam motivados pela vanglória- Deus sabendo que o fato de possuírem uma só língua facilitava a realização desses super projetos em prol de seus egos, confundiu suas línguas e eles não conseguiram finalizar a obra.

31. Nesse trecho Deus refere-se a si mesmo, pela segunda vez, no plural, a primeira foi durante a criação do homem.

Segunda Parte

32. Abrão tinha dois irmãos Nacor e Arã, este último era o pai de Ló. Assim Ló é sobrinho de Abrão e era órfão.

33. Taré, pai de Abrão, o mandou sair de Ur dos caldeus (a Assíria) e ir para Canaã (não se sabe a razão) com Ló e sua mulher Sarai. Mas Abrão parou em Harã, uma terra bem na fronteira para Aram que fica entre a Assíria e Canaã.

34. De modo que é fácil entender a razão da primeira frase de Deus para Noé: "saia de sua terra, do meio de seus parentes e da casa de seu pai e vá para terra que eu lhe mostrarei", Parece que Noé estava com dificuldades com desprendimento.

Ele então teve coragem e foi. Parou em Siquém, lá ele fez um altar.

35. Mas, como emoções são importantes, aconteceu uma seca e Abrão teve que descer para o Egito. Lá ele teve a idéia de dizer que Sarai era sua irmã, o que era verdade, Sarai era meia irmã de Abrão.

36. Pois que o faraó se interessou por Sarai e aí você pode imaginar, Deus mandou algum tipo de peste sobre o Faraó e sua corte por conta de Sarai. Dessa vez o Faraó não teve culpa, mas que é uma cena familiar é sim.

37. Abrão foi então para o Negueb e depois para Betel, lá se separou de Ló, pois haviam ficado ricos em rebanhos - assim, temos pastores novamente na história.


Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui



38. Ló foi para Segor, perto de Sodoma e Gomorra.

39. E aí começa um pequeno filme de ação na história de Abrão, normalmente a história dele é mais um dramática e reflexiva, mas eis que Abrão, pasme, é um guerreiro! 

A Batalha dos Quatro Reis chefiados por Codorlaomor contra Cinco Reis chefiados pelo rei de Sodoma e Gomorra. Acontece que os Quatro Reis ganharam saquearam Sodoma e Gomorra e levaram Ló que morava em Sodoma.

Pois que Abrão foi buscar seu parente e lutou com seus homens - 318!- atacou a noite e os derrotou e ainda os perseguiu, recuperando Ló seu sobrinho, bens e mulheres.

40. Eis que acontece um fato interessante vem ao encontro de Abrão o rei de Sodoma, olhe só, e chega também o rei de Salém (povoado que mais tarde deu origem a Jerusalém) e Sacerdote do Deus Altíssimo, Melquisedec (que significa "meu reinado é justo"), que leva pão e vinho. Logo o rei de Sodoma pede algo intrigante "dê-me as pessoas e fique com os bens" o que Abrão responde "que não quer os bens" e nem se refere as pessoas, deixando claro que são inegociáveis. Interessante que tudo isso acontece numa cerimônia que lembra muito a Santa Missa, por um Sacerdote que não tem "pai nem mãe" como explica São Paulo na carta aos Hebreus - um ser eterno e divino, portanto - Dois fatos encerram a cena, o Sacerdote do Deus Altíssimo dá uma dupla ação de graças pela vitória de Abrão sobre os inimigos e um rei assombroso que quer pessoas que acabaram de ser resgatadas.

41. Deus promete a Abrão uma descendência por mais de dez vezes, mas parece que Sarai não estava muito paciente e resolveu dar uma ajudinha aos planos divinos, deu a Abrão sua escrava Agar.

42. E pronto Agar engravidou, que felicidade! Não! Agar se voltou contra Sara, que por sua vez a maltratou. Agar fugiu gravida para o deserto. Mas um anjo achou Agar e a mandou voltar e o menino nasceu e se chamou Ismael. Abrão teve um filho antes de Isaac.

43. Mas Ismael não era o filho do qual falava a promessa de Deus, pois Deus logo depois desses acontecimentos volta a fazer a mesma promessa, embora o fato seja narrado na sequencia vê-se que aconteceu 13 anos depois, do "probleminha entre Sarai e Agar", pois Deus faz uma aliança com Abrão - ou seja a segunda na história- e manda que todos sejam circuncidados e muda o nome dele e de Sarai para Abraão e Sara. Abraão tinha 99 anos, Sara 98 e o menino Ismael 13.

44. Ainda nesse ano, mais um fato intrigante/interessante acontece, Abraão é visitado por Deus na porta da tenda e vê ao "levantar os olhos" "três homens de pé". Abraão o chama de "Senhor", sendo eles 3, trás pão e um vitelo. O hóspede, sempre tratado no singular - sendo três - diz que Sara ficará grávida no ano seguinte. Sara escuta e ri (parece que a troca do nome ainda não entrou em seu coração), o hóspede não gosta nada, nada. Mas mantem a promessa.
E novamente o texto diz e os "homens se levantaram e olharam para Sodoma"e aparece uma frase de Deus falando consigo mesmo (olhe só! isso causará alivio em muitas pessoas). Ou seja, com os outros dois homens. Ele se questiona se deve contar a Abraão que vai destruir Sodoma. E por fim resolve contar seus planos a Abraão. Dois dos homens foram para Sodoma e Javé ficou com Abraão numa conversa sobre misericórdia, se Deus encontra-se dez justos pouparia as cidades de Sodoma e Gomorra.

45. Pois que os Dois chegam a Sodoma, para ver se realmente é tudo isso de ruim que esta chegando aos céus em forma de clamor e encontram logo Ló, lembra? Sobrinho de Abraão. Este os convida para sua casa, entre os hebreus é uma dádiva receber visitar. Pois que logo os habitantes da cidade batem a porta e querem "ter relações" com os novos visitantes, pois que Ló sendo hebreu considera uma visita como o próprio Deus e oferece as filhas, os moradores rejeitam e tentam invadir. Os Dois homens salvam Ló e o mandam embora, sem olhar para trás, no caminho a mulher de Ló olha para trás e vira uma estátua de sal. Ele se refugia numa gruta com as duas filhas.

Assim que Ló chega a gruta os Dois homens destroem Sodoma e Gomorra.

46. Mas a maldade havia contaminado as duas filhas de Ló, elas o embriagam pois tem medo de não ter descendentes, ficam grávidas do próprio pai. Seus filhos são os antepassados dos moabitas e amonitas. Ambos se tornam povos inimigos de Israel, pois são em si frutos da corrupção e de cidades condenadas.

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui



47. Abraão, foi para o Neguebe e ficou em Gerara e lá, novamente, ele resolve falar que Sara é sua irmã e novamente o rei se interessa por ela e novamente o povo é atacado por males e novamente Deus cura o povo quando o rei, enganado, descobre o erro e Abraão pede a Deus por eles.

48. Depois Abraão faz uns negócios com o rei Abimelec e se instala em Bersabéia ("poço do juramento"), por conta do acordo entre os dois - é uma cidade citada muitas vezes na Bíblia, então guarde o nome.

49. E, enfim, Deus visita Sara e ela fica grávida e da a luz a Isaac. Abrão tinha 100 anos e Sara 99. Pois que ele cresce e logo que é desmamado, Ismael - que tinha uns 14 anos - zomba de Isaac, Sara não gosta nada e pede a Abraão que mande o menino Ismael e sua mãe, Agar, para longe de seu filho, pois não queria que o seu filho dividisse nada com ele. Pois que Abraão fica triste mas manda Agar e o menino embora. Ela novamente vai para o deserto, um anjo a socorre - novamente- escutando o choro do menino Ismael faminto. Ismael se estabelece no deserto e formam os ismaelitas, ele se casou com um egípcia e era arqueiro.

50. Por outro lado, assim que Isaac ficou mais crescidinho, Deus pede que Abraão o sacrifique, esta cena que todos conhecem, tem um pai disposto a sacrificar seu filho. Quando Isaac pergunta "mas onde esta o cordeiro para o holocausto" Abraão responde "Deus providenciará o cordeiro para o holocausto". Ele é impedido de sacrificar o filho e Deus manda um cordeiro. Tudo isso aconteceu num monte chamado Moriá, que ficava perto de Salém na época, esse povoado se tornou Jerusalém, depois nesse local Davi construiu o templo de Jerusalém, nas imediações, hoje, encontramos o que sobrou do Templo (o segundo) que é o Muro das Lamentações e também encontramos o Portal Dourado por onde Jesus entrou em Jerusalém, os judeus acreditam que o Messias (já que para eles Ele ainda não veio) entrará no mundo em Moriá (ou imediações).

51. Sara falece com 127 anos, Isaac tinha portanto 28 anos. Para enterra-lá Abraão comprou Macpela, que se tornou o local em que os patriarcas foram enterrados (menos Raquel). Macpela se tornou um lugar sagrado, Herodes fez lá uma construção muito parecida com o templo de Jerusalém que Davi construiu, se tornou igreja católica e mesquita muitas vezes, hoje é uma mesquita. Possui três salas, uma para cada casal dos patriarcas.

52. Agora a narrativa foca em Isaac, Abraão manda que tragam uma esposa para ele. Interessante essa passagem, Abraão manda que tragam uma mulher dentre os seus parentes e o servo de Abraão vai e pára diante de um poço e pede água a uma moça muito bonita chamada Rebeca. De fato toda a família de Rebeca fez festa e aí também a primeira vez que Labão, irmão de Rebeca, surge na história. O fato é que a família fica em festa, mas o servo de Abraão quer ir embora levando a noiva, mas Labão e a mãe deles queriam que ela ficasse, de modo que a chamam e pedem a sua opinião, se ela quer ir mesmo, e ela responde "Quero". Interessante, pois isso não é muito usual nas histórias bíblicas, ou seja, expressar abertamente que a opinião da moça foi solicitada - sabemos que na cultura isso naturalmente acontece, ou seja pedir a opinião da moça, mas normalmente não é escrito, por isso foge do usual. Isso aconteceu em Padã Aram, terra do povo descendente de Arã, filho mais novo de Sem, que era o filho mais velho de Noé (Arã é hoje a Turquia que foi onde a barca de Noé atracou lembra?)

53. E eles então se casaram, Isaac tinha 40 anos. De modo que ele esperou Rebeca por 12 anos, já que o pai dele mandou buscar a noiva quando Sara faleceu, o servo vai e Abraão morre somente quando Isaac esta já casado.

54. O texto segue falando que Abraão teve outros filhos, com sua segunda esposa Cetura e com concubinas. Cetura deu à luz seis filhos, dentre eles Jecsã que é o pai de Sabá (que é o antepassado do reino de Sabá) Madiã o antepassado dos madianitas. Todos os bens ficaram com Isaac e esses povos se tornam muito ricos também.

55. Abraão morre e é enterrado em Macpela. Por Ismael e Isaac.

56. Ismael teve doze filhos, doze chefes de tribos, prosperou muito, seu primogênito era Nabaiot.

57. Isaac vai morar no poço de Laai-Roí, o lugar "do Vidente que me vê", que foi o lugar onde o anjo apareceu a Agar, mãe de Ismael, no deserto.

58. Rebeca era estéril (sabia?) e Isaac pediu a Deus por um filho e ela concebeu gêmeos, Jacó e Esaú. A história segue dizendo as diferenças de Esaú e Jacó, Esaú era caçador e Jacó "morava em tendas", interessante que parecem Caim e Abel, de certa forma, às avessas, Abel criava os animais, Esaú os caça e mata, Caim era agricultor (justamente o ponto do castigo que Deus colocou sobre o homem "cultivar a terra", terreno) e Jacó parecia viver tranquilamente sobre a terra. O texto diz que ele "habitava em tendas", tranquilo, tendas remete sempre a habitação provisória de estrangeiro, ele vivia como estrangeiro na terra.

59. Com essas diferenças Jacó acaba por conseguir o direito de primogenitura, que no caso era a terra, um dos sinais da aliança de Deus. Esaú que se deixou levar pela fome trocou o sinal da aliança por um prato de lentilhas vermelhas, por isso Esaú é conhecido como Edom (que significa vermelho), é o antepassado dos edonitas.

60. Isaac foi para Gerara, mesma cidade que ficou Abraão com Sara, e a história se repete, ele disse que Rebeca era sua irmã. Como você deve imaginar o rei Abimelec, descobriu, mas dessa vez antes que alguém se interessasse por Rebeca. Isaac prosperou aí e transparece ser muito calmo, já que muitas coisas aconteceram por conta de poços que ele cavava e os filisteus tapavam.

61. Depois ele foi a Bersabéia, lá falou com Deus e também lhe promete uma descendência numerosa. Pela primeira vez o texto descreve Deus falando com Isaac.

62. Quando Esaú fez 40 anos tomou como esposas duas mulheres heteias, o que causou amargura aos seus pais.

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui

63. Logo o texto segue dizendo que Rebeca ajudou Jacó a conseguir a benção do pai no lugar de Esaú. A principio parece um erro, uma coisa enganadora. Mas existe algumas diferenças entre os irmãos, Esaú desprezava o sinal da promessa e se casou com mulheres heteias, sabendo que a sua própria mãe foi buscada para casar com o pai, ou seja casar-se com mulheres locais era sabidamente uma má escolha, além disso o texto diz que ele era "rude". Jacó era tranquilo "como homem que mora em tendas", Abraão morou em tendas, ele prezava pela promessa dada aos antepassados, se comportava como alheio aquele povo que o cercava. Somado a isso existe a revelação que Deus deu a Rebeca que o mais novo seria senhor do mais velho.
Pois o engenho deu certo e Jacó ganhou uma benção dupla "orvalho do céu", "fertilidade da terra", "trigo e vinho em abundancia", ser senhor de seus irmão e das nações, "maldito seja quem te amaldiçoar e bendito seja quem te abençoar". Uma benção bem celestial. E Esaú ganhou uma benção contrária terá uma casa "longe da terra fértil" e "o orvalho não descerá sobre ela", "viverá da espada" e servirá seu irmão.

64. Esaú descobriu que seu casamento desagrada os pais e foi tentara se retratar casando com a filha de Nabaiot, filho primogênito de Ismael irmão de Isaac. Mas o ódio contra o irmão aumentava e tencionava matá-lo, assim engenho de Rebeca para Jacó teve como paga o ódio de Esaú pelo irmão. Rebeca manda Jacó para a casa de seu irmão Labão, com medo que os filhos se matem.

65. Pois, que no caminho Jacó para em Betel, lá passaram Abraão assim que chegou em Canaã e Isaac, quando falou com Deus (Betel é um lugar de adoração, na Samaria, Jesus fala sobre ele com a samaritana, mas esse lugar decaiu aos olhos de Deus, o profeta Samuel julgava o povo em Betel, mas 300 anos depois Oséias diz que ela cairá e a chama de Bet Áven, "casa do nada" ou "casa da vaidade", Deus não esta mais lá e 100 anos depois Samuel diz que Betel se tornou vergonha, isso por conta da vaidade e soberba do homem na vivencia de suas idolatrias.)

66. Jacó faz um voto que se Deus estiver com ele e o proteger, ele servirá a Deus. E ele vai para Padã-Aram, lá encontra e se apaixona por Raquel, que era justamente a filha do filho de Labão, ou seja, sua prima de segundo grau. E ele, como não tinha levava riqueza nenhuma, estava vivendo agora literalmente como estrangeiro, oferece trabalhar 7 anos por Raquel. Mas é enganado por Labão que dá a ele Lia, Jacó, que queria Raquel, oferece trabalhar mais 7 anos por ela e enfim se casam. Jacó amava Raquel e desprezava Lia. Então começou uma disputa entre as irmãs.

67. Lia teve 6 filhos e uma menina Dina (Deus a fez fértil pois era desprezada) e deu sua serva que gerou 2 filhos. Raquel era estéril, deu sua serva que deu à luz 2 filhos, depois Raquel concebeu José e Benjamim.

68. Jacó foge de Labão com as esposas e filhos, ele se tornou muito rico pois Deus fazia que seu rebanho aumentasse estando com Labão, mesmo este mudando muitas vezes qual era parte dele no rebanho.

69. Em Fanuel, em Gallaad, acontece uma luta muito impressionante, Jacó luta com um homem até a aurora, ganha uma benção e seu nome é mudado para Israel. Durante a luta Jacó tem a coxa tocada pelo homem e então fica mancando. Fanuel significa "face de Deus", segundo os judeus é o quarto arcanjo junto com Gabriel, Miguel e Rafael, domina a hierarquia dos Tronos (Sedes de Deus), são o terceiro coro da primeira hierarquia celeste dos seres celestes, que chamamos anjos.


70. Depois desse encontro celestial, Jacó vê que seu irmão esta chegando. Manda presentes, eles se acertam, mas Jacó não vai morar com ele em Seir, o lugar onde Esaú se estabeleceu. Jacó foi para Siquém (aqui foi o primeiro altar que Abraão fez para Deus quando chegou em Canaã, fica também na Samaria, a oriente de Betel, estava na região que hoje chamamos Cisjordânia).

71. A cidade tinha o nome de seu príncipe, Siquém, que se apaixonou por Dina, filha de Jacó e Lia e a estuprou. Os irmãos dela Simeão e Levi fizeram um engenho, fazendo com que todos acreditassem que o príncipe poderia se casar com Dina se todos fossem circuncidados, quando a cidade estava convalescendo os irmãos mataram todos, dizendo "por acaso nossa irmã pode ser tratada como prostituta?". Mas Jacó parece não ter gostado, mas guardou silêncio.

72. Jacó foi morar em Betel, o lugar que havia feito um voto a Deus. Deu fala com ele, lhe fala sobre a mudança do nome para Israel novamente e lhe faz o mesmo mandamento que fez a Adão e a Noé "seja fecundo e multiplique-se" e refaz a promessa da terra.

73. Raquel estava grávida e deu a luz Benjamim, faltando pouco para chegar em Éfrata e faleceu. Éfrata é Belém e Raquel foi enterrada lá. Depois disso Rúben, filho de Lia, dormiu com a serva de Rebeca e concubina do pai, Jacó ficou sabendo, mas guardou silêncio.

Assim em resumo Ruben, Simeão e Levi - filhos de Lia - fazem umas coisas erradinhas e Jacó guarda silêncio.

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui

74. O texto segue falando dos 12 irmãos e que José era o predileto de Jacó. Os irmãos ficam com inveja, pois José tem sonhos estranhos e que demonstram que ele será maior que os irmãos, estes então resolvem matá-lo, mas Rúben diz que deviam jogá-lo no poço, queria depois resgatá-lo e devolvê-lo ao pai, mas Judá dá idéia de vendê-lo aos ismaelitas (que são os descendentes de Ismael, filho de mais velho de Abraão), mas no fim ele é jogado no poço e retirado por madianitas (também descentes de Madiã um dos filhos de Abraão com sua segunda esposa Cetura) e vendido por esses aos ismaelitas que o venderam a Putifar, ministro chefe da guarda do Faraó. Rúben voltou ao poço e viu que José não estava mais lá e então ele e os irmãos pegaram a túnica de José colocaram sangue de bode e mostraram a Isaac, que chorou e fez um luto muito longo.

75. A narrativa é cortada para falar de um outro filho de Isaac, Judá. Um dos filhos mais novos de Jacó e Lia, Judá tomou como mulher uma cananeia (parece que Jacó não tinha intenção de voltar a Padã Arã para buscar noivas para os filhos) e concebeu três filhos. O mais velho Her se casou com Tamar, mas faleceu pois desagradou a Deus. Então cabia a Onã casar e amparar a viúva e gerar filhos para o irmão, e assim fez, mas jogava o sêmem, para não gerar filhos, Deus não gostou disso e abreviou os dias de Onã. Tamar então ficou viúva, aguardando que Sela, o mais novo, tivesse idade para casar com ela. Ela ficou morando em Tamna. Mas Judá resolve não dar o filho mais novo em casamento, por medo que ele morresse. Quando Judá foi a Tamna, Tamar viu que Sela estava já em idade de casar e não lhe fora dado, então ficou na porta da cidade, Judá a tomou como uma prostituta e combinou com ela pagar deixando com ela seu anel de selo e um cajado (ambos sinais de poder administrativo, Judá ao que parece era importante entre os da casa de Israel), até que ele lhe enviasse um cabrito. Ele aceitou. Depois ele mandou levar o cabrito, ela não estava lá, foi parar ao ouvido dele que Tamar a viúva de seus filhos estava grávida, ele ia apedrejá-la, mas ela mostrou o selo e o cajado e então ele acabou dizendo que ela era mais honesta que ele. Tamar teve gêmeos com Judá! Farés e Zara.

76. A história então, volta para José, que esta com Putifar que vê tudo em sua vida prosperar pelas mãos de José e o torna administrador da casa, mas o chefe da guarda tem uma esposa muito "dada" que se joga pra cima de José, ele saiu fugindo, Putifar enganado pela esposa que diz ser José um abusador, manda prender José. Na prisão, José ganha a simpatia do carcereiro e se torna administrador de tudo na prisão. Nesse meio tempo, foram presos dois funcionários do palácio que tiveram sonhos, José interpretou os sonhos e disse que se lembrassem dele diante do faraó. Nada aconteceu, passou dois anos o Faraó teve um sonho que ninguém conseguia interpretar, então o funcionário lembrou de José. Ele foi chamado, interpretou os sete anos de fartura e sete de seca, já foi falando que precisam estocar a quinta parte dos rendimentos e que o faraó deveria colocar alguém capacitado. O faraó escolhe o próprio José e ele ganha o mesmo poder do faraó, era como se fosse o próprio faraó, ele ganha um anel de selo. 

77. Feito o que José aconselhou durante os sete anos de fartura, chegou a seca e o Egito era o único lugar que havia mantimentos. Jacó manda que seus filhos desçam para comprar comida e fica com Benjamim. Chegando lá José os reconhece, os prende, depois os solta com seus mantimentos e o dinheiro que haviam dado como pagamento, mas quer que tragam Benjamim e para isso fica com Simeão. Os irmãos contam tudo a Jacó e o deixam desgostoso, nessa altura acontece algo interessante, Rúbem o mais velho diz que se responsabiliza por Benjamim e que pode matar seus meninos se Benjamim não voltar, Jacó parece não dar atenção, mas quando Judá diz que trará Benjamim novamente e que se não fizer será pra sempre culpado diante do pai, Jacó permite. Então Judá se torna responsável por proteger Benjamim. O filho mais velho protege o mais novo.

78. E realmente foi necessário, assim que chegaram ao Egito, foram recebidos com um banquete por José, que chora escondido, mas logo diz que quer ficar com Benjamim e os outros podem ir embora. Judá explica que se comprometeu a proteger o irmão mais novo e que haviam perdido um irmão, José se emociona e diz quem é, os irmãos ficam embasbacados, tanto que ficam calados durante todo o período que José conta sua história, por fim José manda buscar Jacó. Este fica muito feliz e vai com todos para o Egito. Lá fica em Gessen, terra de pastagem. E a casa ficou conhecida como casa de pastores.

79. A partir daí a narrativa toma a disposição de testamento e Jacó passa a dar sua bençãos. Primeiro ponto interessante é que ele começa pelos filhos de José, Efraim e Manassés, ele diz que os toma como seus filhos no lugar de Rubén e Simeão (parece que ele não se esqueceu do episódio que Rubén dormiu com sua concubina e que Simeão dizimou uma cidade toda) durante a benção Jacó propositadamente faz a benção do caçula maior que a do primogênito, E a benção de Jacó foi que se tornassem numerosos para que neles sobreviva os nomes de Abraão e Isaac e faz dos seus nomes sinal de benção, "Israel servirá de vocês para abençoar dizendo que Deus torne você como Efraim e Manassés" (e de fato Efraim e Manassés se tornaram duas das tribos mais númerosas de Israel, junto com Judá)

80. Depois Jacó mandou chamar seu filhos, os doze e os abençoou, outro fato importante ele deu benção a todos, embora com diferenças, deu benção tanto os nascidos de Lia e Raquel, quanto para os das servas. As bençãos são em si constatações e profecias, ma
s as mais importantes, no momento:

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui

Rúben perdeu a primogenitura por ter se deitado com a concubina do pai, mesmo sendo forte e o primeiro em poder dentre os irmãos (hipótese de Jacó não ter se esquecido confirmada);

Simeão e Levi perderam o direito de aconselhar, que é justamente o que os filhos mais próximos do primogênito fazem, justamente por terem dizimado uma cidade toda pela espada (hipótese dois confirmada). Jacó diz que serão divididos em Israel (de fato a tribo de Simeão foi sumindo e Levi, embora se tornasse um povo de sacerdotes depois, por Deus, vivia espalhado pelas outras tribos).

Judá ganhou a primazia, "diante de você se dobrarão os filhos de seu pai" e os inimigos (observação do selo e cajado, confirmada) além disso Jacó diz "o cetro não se fastará de Judá", "amarra o jumentinho numa videira", "lava sua roupa no vinho e seu manto no sangue de uvas".

José ganha uma benção bem grande e é chamado de "o consagrado entre os irmãos", Jacó descreve mostrando que ele é guiado por Deus e que muitas bençãos do céu e do mar devem cair sobre a sua cabeça.

Todos receberam benção, os outros possuem descrições dos lugares que herdarão na terra prometida.

Jacó foi enterrado em Macpela e Lia com ele. Interessante notar que o príncipe entre os irmãos é Judá filho de Lia, a desprezada e que foi ela a enterrada com Jacó, enquanto Raquel foi enterrada em Belém. De Judá, filho de Lia, saiu o Salvador que nasceu em Belém, lugar onde esta enterrada Raquel, a amada, mãe de José que salvou a família no Egito depois de ser desprezado pelos irmãos.

O texto termina com a morte de José que é embalsamado e antes de sua morte fez com que prometessem levar seus restos mortais para Canaã.

Para te ajudar a entender as gerações:

Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui
Espero que possa ter lhe dado um animo para ler esse livro.

Qual fato de impressionou mais?

Paz e Bem!

Ana Paula Barros


Se inscreva no nosso canal Salus in Caritate aqui




































.














































Exercícios Espirituais para a Total Consagração à Santa Virgem

Salve Maria, segue o passo a passo simples da Consagração a Santa Virgem.

1 Leia o Tratado da Verdadeira Devoção a Santa Virgem (aqui vc encontra)

2 Tire todas as suas dúvidas e estude o Tratado: vc poderá encontrar aulas aqui apostilas no site reginacordis.com e pode ter respostas das questões mais comuns aqui 

TEM QUE LER O TRATADO E ESTUDÁ-LO, não se pode crescer sem enraizar-se!

Sobre quem pode e quem não pode se consagrar aqui

3- Escolha uma data para se consagrar, pode ser qualquer data, mas São Monfort indica uma data mariana.

4- Comece a fazer os 30 dias de Exercícios Espirituais. Deve iniciá-lo 30 dias antes do dia da Consagração. Deve seguir as orações orientadas pelo santo para esses dias.

5- No dia da consagração você deve confessar-se (deve ser uma confissão geral, ou seja, que aborde todos os pecados graves da sua vida) mais sobre aqui. Depois deve comungar e recitar a formula da Consagração.

É possível que a recitação seja feita o momento de ação de graças na Santa Missa ou diante de uma imagem da Santa Virgem depois da Missa, na Igreja ou em casa.

Você assina a Formula da Consagração que acabou de ler.

Pode pedir também para o padre abençoar sua cadeia, se escolher a atitude louvável de usá-la.

Não é preciso a presença obrigatória do padre nesse dia, também não é preciso testemunha, nem padrinhos. É uma consagração da sua pessoa, particular, que pode ou não ter a presença do padre, mas não é obrigatório.

Obrigatório é ler o Tratado, estudá-lo, fazer os Exercícios e estar em estado de graça no dia da Consagração.

São Luís orienta que devemos renovar a Consagração, ao menos, uma vez por ano, refazendo os Exercícios e recitando a fórmula da Consagração.

Espero que tenha ajudado. Abaixo segue o roteiro para os 30 dias de Exercícios Espirituais Preparatórios.




Quero hoje disponibilizar reflexões para os 30 dias de Exercícios Preparatórios para a Consagração:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL aqui

12 dias preliminares

















Primeira Semana

Conhecimento de si mesmo








Segunda Semana

Conhecimento da Santa Virgem














ÁUDIO CURSO BÁSICO DE MARIOLOGIA GRATUITO| Tudo que um católico precisa saber sobre Maria

Olá, Paz e Bem!

Temos a intenção de oferecer um curso básico de mariologia aos que se interessam pelo tema e estudo da fé e doutrina católica.

O curso é baseado no Catecismo da Igreja Católica, nas Sagradas Escrituras e Sagrada Tradição, Magistério da Igreja, Revelações Marianas aprovadas pela Santa Igreja e no Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, livro analisado pelo Para Pio X e considerado isento de erro.

Abaixo você encontra as aulas, endereço on-line para adquirir as apostilas do curso que contem textos na integra e referências bibliográficas e também encontrará uma introdução em texto sobre o conteúdo da primeira aula para que possa observar o que é tratado no curso e o nível de profundidade.

Se inscreva em nosso canal aqui



Bons estudos!

















Se inscreva em nosso canal aqui

Para te introduzir no curso segue uma breve introdução do conteúdo da primeira aula:

“Foi pela Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo e é também por Ela que deve reinar no mundo.” 

Ou seja: 

“Para que venha o Vosso Reino, ó Jesus. Venha o Reino de Maria”. 

Portanto nesse capítulo encontramos a respostas para as seguintes perguntas: 

Qual o papel de Maria na Encanação e no Plano da Salvação? 

Onde seria o Reino de Maria? 

Para entendermos melhor devemos partir da própria volta do Senhor, ou seja, o objetivo final do reino de Maria. 

"Ainda que a data da volta de Cristo seja indefinida, foram-nos dados a conhecer os sinais que a precederão. São eles: a pregação do Evangelho em todo o mundo, a conversão do povo judeu, penalidades e tribulações da Igreja, a aparição do Anticristo, e o caos da criação.” M. Schmaus, Dogmática. VII Los Novíssimos, Rialp, Madrid 1961. 

Ou seja, devemos entender que a volta do Senhor é precedida desses acontecimentos. Como já vimos, no capítulo anterior A Grande Batalha e em Escatologia, temos praticamente todos os acontecimentos em andamento avançado. 

O que nos leva a urgência da necessidade de se conhecer Maria e seu papel no Plano da Salvação. 

O Tratado da Verdadeira Devoção a Ss. Virgem, foi escrito primeiramente com o titulo de Preparação para o Reino de Jesus, ou seja, nele temos formações e revelações sobre Maria Santíssima nesses últimos tempos. 

Como vimos anteriormente, Nossa Senhora mesma explicou sua função (e a de todos os outros) nessa Grande Batalha: 

“O Senhor revestiu-Me com a sua Luz e o Espírito Santo com o seu divino poder; assim apareço como um grande sinal no céu, como a Mulher vestida de sol, porque tenho a missão de subtrair a humanidade do domínio do enorme dragão vermelho e reconduzi-la toda à perfeita glorificação da Santíssima Trindade.” (Mensagens de Nossa Senhora aos Sacerdotes, Seus filhos prediletos, através do Pe. Stefano Gobbi (1973-1997). Imprimatur do: Cardeal Bernardino Echeverría Ruiz, Arcebispo de Guayaquil; Arcebispo Metropolitano de Pescara – Penne, D. Francesco Cuccarese, Cardeal Ignace Moussa Daoud, Patriarca emérito de Antioquia dos Sírios, e Perfeito da Congregação para as Igrejas Orientais. Dongo (Itália), 13 de Junho de 1989, Aniversario da 2ª aparição em Fátima) 

Assim, conhecendo um pouco da dinâmica real da Batalha podemos nos concentrar a conhecer a Santa Virgem. 

Humildade 


São Luís ao iniciar sua fala sobre a Santa Mãe de Deus começa pelo seu maior atributo, a humildade. 

Todas as outras virtudes e graças em Maria Santíssima são originadas em sua humildade. 

Relembrando 

O que é Virtude? 

“Uma virtude é uma atitude interior, um hábito positivo, uma paixão por servir o bem.” (CIC 1803, 1833) 

O que é a virtude da Humildade? 

“Como diz Isidoro, humilde se chama quem está por assim dizer inclinado para o chão, isto é, preso às coisas ínfimas. O que pode dar–se de dois modos. – Primeiro, por um princípio extrínseco, por exemplo, quando somos rebaixados por outrem. E, então, a humildade é uma pena. – De outro modo, por um princípio intrínseco. E isto pode dar–se, às vezes, em bom sentido; por exemplo, quando, considerando os nossos defeitos, colocamo–nos, conforme a nossa condição, em situação ínfima; assim, Abraão disse ao Senhor: Falarei ao Senhor, ainda que eu seja cinza e pó. E, neste sentido, a humildade constitui uma virtude. Mas, outras vezes, pode ser em mau sentido, por exemplo, quando, alguém não compreendendo a sua honra, compara–se aos brutos irracionais e se faz semelhante a eles. 

Como dissemos, a humildade, enquanto virtude, implica, por sua natureza, um louvável abatimento para o que ínfimo. Ora, isto às vezes se dá ficticiamente, ou quando se manifesta só por sinais exteriores. E esta é a falsa humildade, da qual Agostinho diz, que é uma grande soberba, porque busca na verdade as excelências da glória. Mas, outras vezes, esse abatimento se radica no íntimo da alma. E então a humildade é propriamente considerada uma virtude, pois, a virtude não consiste em manifestações exteriores, mas, e principalmente, na eleição interna da mente.” (São Tomás de Aquino, Summa Teólogia, Questão 161, Art. 1| Se a humildade é uma virtude). 

Ao relatar a humildade da Santa Virgem, o santo diz que Ela é a Alma Mater, Mãe Escondida. Ela própria pedia para ser escondida e Deus tinha prazer em escondê-la e preservar. 

Assim mesmo tendo poder dado pelo Pai, sabedoria dada pelo Filho e sendo a esposa do Espírito Santo, Ela permaneceu escondida e guardada. Numa intercessão que devasta os planos do inferno. 

Obra Prima 


Ao falar sobre Ela o Santo usa o termo “Santuário da Trindade” e ainda como Santo Agostinho “Cidade de Deus”. (TVD 6 e 7). 

Grandes coisas fez Deus nessa criatura. Nessa criatura especial e imensamente amada por Deus. 

A força da verdade a todos obriga chamá-la “bem-aventurada”. (TVD 8) 

“Toda a terra esta cheia de sua glória” (TVD 9) 

Devemos compreender a extensão dessa fala, que nos orienta sobre o papel de Medianeira, dispensadora de graças que a Santa Virgem possuí. 

Antes do nascimento da Santíssima Virgem, não existia para todos essa torrente de graças, porque não havia ainda esse desejado aqueduto: Maria foi dada ao mundo – continua ele – a fim de que por seu intermédio, como por um canal, até nós corresse sem cessar a torrente das graças divinas (São Bernardo in São Afonso de Ligório, Glórias de Maria). 

A glória de Maria é ser o canal de graça, formado por Deus. Ela espalha as graças pelo mundo inteiro, é a Nossa Senhora das Graças. Dessa forma ela espalha a sua glória, que é ser medianeira, por todo o mundo.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Relembrando: 

O que é Graça? 

“A graça consiste em ser olhado por Deus e ser tocado pelo seu amor” (Para Emérito Bento XVI). 

“Por graça entende-se a dedicação livre e amorosa de Deus a nós, a Sua Bondade em ajudar-nos, a força vital que d’Ele vem. Pela cruz e pela ressurreição, Deus dedica-se totalmente a nós, comunicando-Se a nós na graça. A graça é tudo o que Deus nos concede, sem que minimamente mereçamos.” (CIC 1996-1998, 2005, 2021| YouCat 338) 

“Deus nunca oferece menos que a si mesmo” (Santo Agostinho) 

O que faz a graça em nós? 

“A graça de Deus insere-nos na vida interior do Deus Trino, na permuta de amor entre Pai, Filho e Espírito Santo. Capacita-nos para viver no amor de Deus a atuar a partir desse amor” (YouCat 339). 

... “a graça não força. O amor de Deus quer o nosso livre consentimento.” (YouCat 340) 

Recebemos a graça como? 

No Batismo recebemos a Graça Santificante, que faz de nós filhos de Deus e herdeiros do Céu. A Graça Santificante nos permite ter uma inclinação interior para a prática do bem, essa inclinação é uma Graça Habitual. Dessa forma muitas vezes encontramos essas definições unidas. 

A Graça Atual é um dom sobrenatural, que ilumina a inteligência e fortalece a vontade para que possamos defender e aumentar a Graça Santificante (Habitual), afastando o mal. 

Para receber a Graça Atual, ou seja, o dom sobrenatural, temos a Graça Sacramental, que nos permite receber as graças atuais para alcançar o fim próprio de cada Sacramento. (YouCat, 339) 

Existe ainda a Graça Sobrenatural que é a que excede o entendimento, uma ação sobrenatural em meio ao natural, ela é a matriz de todas as outras graças, todas dela provêm e dela fazem parte. Ela que faz participar da vida divina, todas as vezes que São Luís diz graça se refere a essa ação. 

Existem graus de glória (ou de santidade ou de perfeição)? 

“Deus Nosso Senhor, generosamente, concedeu a Adão, nosso primeiro pai, a vida sobrenatural. 

Que significa isso? 

Significa que, além da vida física e da vida intelectual, Deus, bondosamente, concedeu ao homem uma participação na própria vida divina. É o que se chama vida sobrenatural ou da graça. 

Assim como a luz penetra no ar sem se tornar elemento constituinte dele, assim como o fogo penetra no ferro em brasa --que continua, entretanto, simplesmente ferro -- assim também, pela graça santificante, Deus penetrou na alma de Adão, fazendo-o participante de sua vida divina. 

O ferro em brasa continua ferro, mas adquire duas qualidades da natureza do fogo: é capaz de iluminar e de queimar. 

Assim também o homem, ao ser batizado, recebe Deus em sua alma. Deus passa a viver na alma humana, permitindo-lhe fazer ações junto com Deus, adquirindo assim méritos infinitos. 

Ser santo é ter participação na vida divina, porque Deus habita na alma pela graça santificante. 

Nossa Senhora, sendo a mais perfeita de todas as criaturas, tem uma glória superior a qualquer ser humano ou angélico.” (Org. Montfort) 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Assim a participação de Maria Santíssima na vida divina é muito grande, como podemos ver pelo seu grau de glória, ela foi muito amada e muito amou. E hoje dispensa sobre nós graças sem cessar. 

Portanto, entendemos porque o Santo diz que Maria não foi amada, louvada e servida. 

O termo amada, devemos pela razão de ser Ela quem é, a Mãe de Deus e Nossa Porta do Céu, por onde nos vem as graças. 

No entanto, devemos nos aprofundar no termo louvada e servida. 

Louvor a Maria 


Em Lc 1, 39-45, podemos ver a chegada de Maria Puríssima a casa de santa Isabel, Ela saúda sua prima e imediatamente o menino, João Batista, pula no ventre de sua mãe e Isabel se enche do Espírito Santo. E Isabel exclama: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito és fruto do teu ventre, donde me vem esta honra de vir a mim a mãe do meu Senhor”. 

Baseado na Verdade que: “Toda sagrada escritura é inspirada por Deus” (II Timóteo, 3) 

Assim que o Espírito Santo encheu Isabel, ela louvou Maria Santíssima. Ela, Isabel, foi inspirada pelo próprio Deus. O Santo Espírito nos ensina a louvar a Santa Virgem, dizer que Ela é bendita e que temos uma grande honra em tê-la conosco. 

Ela é bendita, pois foi escolhida para ser Mãe de Deus, ninguém foi mais exaltada por Deus do que Ela. Para ser Mãe de Deus, é preciso que ela fosse Imaculada, livre de todo pecado, livre do pecado original, ela foi salva por antecipação. Maria é Imaculada livre do pecado original, virgem de corpo e de alma. Uma criatura muito, muito, muito acima de qualquer outra. 

Realmente Ela ainda não foi louvada como é da Vontade de Deus, de geração em geração. 

Servir a Maria 


Maria, Rainha do Céu 

“Transbordam palavras sublimes do meu coração. Ao rei dedico o meu canto. Minha língua é como o estilo de um ágil escriba. 

Sois belo, o mais belo dos filhos dos homens. Expande-se a graça em vossos lábios, pelo que Deus vos cumulou de bênçãos eternas. 

Cingi-vos com vossa espada, ó herói; ela é vosso ornamento e esplendor. 

Erguei-vos vitorioso em defesa da verdade e da justiça. Que vossa mão se assinale por feitos gloriosos. 

Aguçadas são as vossas flechas; a vós se submetem os povos; os inimigos do rei perdem o ânimo. 

Vosso trono, ó Deus, é eterno, de eqüidade é vosso cetro real. 

Amais a justiça e detestais o mal, pelo que o Senhor, vosso Deus, vos ungiu com óleo de alegria, preferindo-vos aos vossos iguais. 

Exalam vossas vestes perfume de mirra, aloés e incenso; do palácio de marfim os sons das liras vos deleitam. 

Filhas de reis formam vosso cortejo; posta-se à vossa direita a rainha, ornada de ouro de Ofir.” 

Sl 44/45 

Podemos ver claramente uma relação desse salmo com Apocalipse 19, o rei como o cavaleiro branco que possuí uma espada que dominará todas as nações e Apocalipse 12, a rainha ornada de ouro de Ofir e a uma mulher vestida de sol, com a lua sob os pé e na cabeça uma coroa de doze estrela, vemos uma rainha no céu, com a lua, que significa o mundo, sob os pés, uma rainha, portanto do céu e da terra. 

Se o rei do salmo é Jesus, quem seria a rainha? Jesus não se casou. No entanto, vemos um costume entre os reis hebreus: 

“Salomão sentou-se no trono de Davi, seu pai, e seu reino foi solidamente estabelecido. 

Adonias, filho de Hagit, foi ter com Betsabé, mãe de Salomão. Ela disse-lhe: Vens como amigo? 

Sim, disse ele, preciso falar-te. Fala. 

Ele continuou: Sabes que o reino era meu, e que todo o Israel me considerava como o seu futuro rei. Mas o trono foi transferido a outro, passando para o meu irmão, porque o Senhor lho deu. 

Tenho a esse respeito um pedido a fazer-te; não mo recuses. Fala. 

Pede ao rei Salomão, que nada te recusa, que me dê Abisag, a sunamita, por mulher. 

Está bem, respondeu Betsabé, falarei por ti ao rei. 

Betsabé foi, pois, ter com o rei para falar-lhe em favor de Adonias. O rei levantou-se para ir-lhe ao encontro, fez-lhe uma profunda reverência e sentou-se no trono. Mandou colocar um trono para a sua mãe, e ela sentou-se à sua direita: 

Tenho um pequeno pedido a fazer-te, disse ela; não mo recuses. Pede, minha mãe, respondeu o rei, porque nada te recusarei.” 

1 Reis 2, 12-20 

No vigésimo ano de Jeroboão, rei de Israel, Asa tornou-se rei de Judá, e reinou quarenta e um anos em Jerusalém. 

Sua mãe chamava-se Maaca, filha de Absalão. 

Asa fez o que é reto aos olhos do Senhor, como Davi, seu pai. 

Expulsou da terra as prostitutas (sagradas) e acabou com todos os ídolos que seus pais tinham feito. 

Além disso, destituiu da dignidade de rainha sua própria mãe Maaca, por ter procedido mal. 

1 Reis, 9-13 

A rainha é sempre a mãe do rei. Na linhagem de Davi. 

No salmo 44/45 a rainha esta ao lado do rei. 

“Nisso aproximou-se a mãe dos filhos de Zebedeu com seus filhos e prostrou-se diante de Jesus para lhe fazer uma súplica. 

Perguntou-lhe ele: Que queres? Ela respondeu: Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda. 

Jesus disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu devo beber?” 

Mt 20, 20 

“Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma.” Lc 2, 34-35 

Ela bebeu com Jesus do cálice da dor e esta ao seu lado no céu, todos os sinais estão na Bíblia. 

Ela “é o mais sublime milagre da natureza, da graça e da glória... Ela é a digna Mãe de Deus”. (TVD 12) 

Ao iniciar propriamente o capítulo 1, São Luiz o intitula como “Necessidade da Devoção a Maria” e inicia sua explicação descrevendo que Deus quis precisar Dela na Encarnação. Prossegue dizendo que Deus não muda Seu proceder, logo Ela será necessária sempre no plano da salvação que ainda não terminou. 

Para então melhor explicar a relação de Maria com a Trindade, ele se põe a detalhar a relação da Santa Virgem com cada pessoa da Santíssima Trindade. 

Maria e O Pai 


Ele diz que Maria mereceu receber Jesus, por mais que os profetas e patriarcas suspirassem o Messias, Ela O recebeu, pois encontrou graça diante de Deus, pela força de suas orações e a grandeza de suas virtudes. O mundo não era digno de receber Jesus diretamente e por isso Ele veio por Maria, a única que era digna. 

Ela recebeu fecundidade das mãos do Pai para gestar Jesus e os membros do Seu Corpo Místico. 

Maria e o Filho 

Maria é para o novo Adão, Jesus, um Paraíso, nela Ele se escondeu, se aprisionou, fez Dela um Sacrário. 

E por fim Ela estava presente para consentir, pela segunda vez com a Vontade de Deus, que o seu Filho fosse imolado. 

Jesus se submeteu a Santa Virgem, por 30 anos e nisso deus mais glória a Deus. 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Relembrando: 

Jesus veio para nos reconciliar com Deus, para pagar o preço dos nossos pecados, para nos libertar da escravidão de Satanás. 

Essa escravidão nasceu de um ato de desobediência de Eva, que por sua vez nasceu no ato de desobediência de Lúcifer. E ambas as desobediências vieram da soberba. 

Portanto, Jesus que veio para ser o novo Adão e Maria a nova Eva, vivem em mais alto grau a humildade, contrária a soberba. Ou seja, a remissão de nossos pecados alcançou seu ápice na crucificação e morte de Jesus mas começou desde o nascimento de Jesus. 

E Maria estava com ele todo o tempo para oferecê-Lo a humanidade, oferecer o fruto bendito do Teu ventre, assim como Eva ofereceu o fruto a Adão e assim a toda humanidade. 

Eva cooperou com a queda, Maria – a nova Eva – cooperou com a redenção, assim Ela é por natureza, por graça e por glória Co-Redentora. 

Quando nos submetemos a Maria, agrademos a Deus, pois seguimos, imitamos o fez Jesus em sua vida. 

Nos tornamos, então realmente cristãos que quer dizer imitadores de Cristo, outro Cristo. 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ao finalizar o Santo apontam os milagres realizados por Maria (TVD, 19), interessante notar que neste ponto, se explica as duas formas que Maria dispensa graças sobre nós. Jesus usou Maria como canal da graça, ao fazer descer o Espírito Santo sobre São João, o santo diz ordem da graça, usando o termo para se referir a graça sobrenatural, que desce sobre nós e não podemos explicar. O segundo milagre, ocorre na ordem natural, o das Bodas de Caná, o santo aponta como ordem natural, pois Maria é mãe de Jesus na natureza e tem sobre ele a autoridade desse posto, sem que ele perca com isso sua Majestade. 

Maria e o Espírito Santo 

A explicação se inicia com uma questão profunda, o Espírito Santo possuí a fecundidade, no entanto, quis precisar da Santa Virgem para transformar essa fecundidade em ato, ou seja, numa pessoa, Jesus. 

Por isso fez dela sua esposa. 

“Com Ela” – fez dela sua esposa 

“nela” – Ela é o Sacrário do Novo Adão, a Nova Arca da Aliança 

“D’ela” – saiu toda matéria, carne e sangue, que formaram Jesus. O sangue de Jesus é o sangue de Maria, a carne de Jesus é a carne de Maria. 

Quando recebemos a comunhão, Corpo e Sangue de Jesus, também recebemos Corpo e Sangue de Maria, pois D’ela veio toda a parte física de Jesus. E o Sangue de Jesus (que é o de Maria) se une ao nosso sangue e a Carne de Jesus (que é de Maria) se une a nossa carne. 

Mãe de Deus e nossa Mãe. Assim quer servir-se D’ela o Espírito Santo para formar os predestinados, os membros do corpo místico de Cristo. 

“Mistério de graça, escondido mesmo aos cristãos mais sábios e mais espirituais” (TVD,21). 

Quanto mais encontrar Maria, mais formará Jesus na alma e a alma em Jesus. 

1 – formará Jesus NA alma: fará dela sua morada 

2 – e a alma EM Jesus: outro Cristo 

Dessa forma ele termina o raciocínio que visa explicar a necessidade da Devoção, que em resumo é baseado na verdade que este foi o caminho, Maria Puríssima, que Deus escolheu e Ele não muda seu proceder. 

Após estes esclarecimentos o santo prossegue agora dizendo as Obras Primas que a Santíssima Trindade operou em Maria. 

Assim ele inicia o segundo principio que Deus quer servir-se de Maria para a salvação das almas. 

Para isso ele volta a dizer que as atitudes explicadas anteriormente demonstram o proceder da Santíssima Trindade e que Deus não muda seu proceder, para então endossar sua afirmação ele prossegue relatando as maravilhas que a Trindade operou na Santa Virgem, dessa forma visando explicar a extensão imensurável do poder concedido a Santa Virgem sobre as almas. 

Ele novamente diz o quê cada pessoa da Santíssima Trindade fez em Maria (TVD, 23 ss): 

O Pai: encerrou todas as graças em Maria. Colocou nela tudo que possuí de mais precioso, incluindo seu filho e também a nós, por quem dedica seu amor gratuito, Ela é o “Tesouro do Senhor”, o Tesouro do Rei do Universo. 

O Filho: Ele entregou a Ela seus Méritos infinitos e suas admiráveis virtudes, Ele mesmo entregou a ela seus Méritos e virtudes, pois Ela é o Tesouro do rei. Fez Dela sua Tesoureira, seu canal misterioso. Ela é o Tesouro e a Tesoureira. Ela guarda tudo de mais precioso para o Pai e para o Filho e dispensa as graças, os méritos de Jesus e suas virtudes, aos membros do Corpo Místico. 

Medianeira das Graças. 

Nesse ponto, vamos fazer um pequeno lembrete de como funciona o Céu. Pelas visões dos Santos e pela Bíblia, como já vimos, podemos nos lembrar de que o Céu é regido por uma monarquia, existe um Rei e seus súditos, uma Rainha. 

Pois bem, para que você entenda melhor vou usar o exemplo de uma época que a humanidade viveu, antes de termos uma sociedade capitalista, tínhamos um sistema bem diferente em relação às tarefas de homem e mulher, que começou a se alterar com o surgimento da burguesia. Ou seja, na Idade Média, tudo era muito diferente. Existia o Rei, vassalos do rei e os senhores feudais. Cada homem desempenhava seu oficio em sua casa, todos trabalhavam de alguma forma “em casa” e a mulher normalmente cuidava da casa e isso incluía a gestão da casa, da administração da casa, ela era a tesoureira da casa e ao mesmo tempo o tesouro casa. 

Parecido com o que acontece no Céu, por isso, talvez se faça tantos mitos e alterações nessa época da humanidade. 

Aqui tudo mudou, mas no Céu não muda, Deus não muda seu proceder. A Rainha é a Tesoureira da Casa do Pai que tem muitas moradas. 

O Espírito Santo: comunicou seus dons inefáveis e fez dela a dispensadora Deles. Nenhum Dom é concedido sem que passe por Ela. 

Assim Ela foi honrada, por que se humilhou toda a vida. 

A partir do ponto 27 São Luís inicia a explicação de dois pontos que confirmam e reforçam os anteriores. 

Ele inicia dizendo que a graça é aperfeiçoada a natureza e a glória aperfeiçoa a graça. 

Houve uma graça sobrenatural, que excede o entendimento, um milagre, Deus se fez carne, numa mulher, se tornou Filho gerado pela criatura que criou. A graça sobrenatural aperfeiçoa a natureza de ser filho. Um filho já é naturalmente inclinado a proteger e amar e muito sua mãe, no caso de Jesus a graça sobrenatural fez essa atitude natural ser aperfeiçoada, Ele amava muito, muito mais que um filho muito dedicado ama sua mãe. 

E a glória aperfeiçoa a graça. Se Ele pela ação da graça sobrenatural, amava muito, muito, muito acima de um filho dedicado sua mãe, na glória, ou seja, no Céu isso é ainda mais aperfeiçoado e portanto nesse momento Jesus ama imensamente Sua Santa Mãe. Ele será para sempre Filho de Maria. 

O santo orienta para que não vejamos nessa dependência de Jesus um ultraje Sua Majestade, Maria é dileta, pois faz tudo segundo a Vontade de Deus. 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nota 1: Revelação de Jesus a Santa Brigida, Livro 1 

“Eu sou a Rainha dos Céus. Estás preocupada sobre como tens que louvar-me. Tenha a certeza de que todo o louvor a meu Filho é louvor a mim. E aqueles que o desonram, desonram a mim, pois meu amor para com Ele e o dele para comigo é tão ardente como se nós dois fossemos um só coração. Tanto me honrou a mim, que era um vaso de argila, que me elevou acima de todos os anjos. Por isso tu me hás de louvar assim: ”Bendito sejas, Senhor Deus, Criador de todas as coisas, que te dignaste descer ao ventre da Virgem Maria. Bendito sejas Senhor Deus que quiseste habitar nas entranhas da Virgem Maria, sem ser um fardo para Ela e te dignaste receber sua carne imaculada sem pecado. 

Bendito sejas, Senhor Deus, que vieste à Virgem, dando-lhe gozo a sua alma e a todos os seus membros e que, com o gozo de todos os membros de seu corpo sem pecado, Dela nasceste. Bendito sejas, Senhor Deus, que depois de tua ascensão alegraste a Virgem Maria com frequentes consolações e com tua consolação a visitaste. Bendito sejas, Senhor Deus, que elevaste o corpo e a alma da Virgem Maria, tua Mãe, aos Céus e a honraste situando-a junto de tua divindade, sobre todos os anjos. Tem misericórdia de mim, Senhor, por seus rogos e intercessão”. 

“A Mãe apareceu dizendo ao Filho: “És o Rei da Glória, Filho meu, és o Senhor de todos os senhores, criaste o Céu e a Terra e tudo o que existe neles. Sejam cumpridos todos os teus desejos, faça-se toda tua vontade!” O Filho respondeu: “Há um antigo provérbio que diz: ‘O que se aprende na juventude se preserva até a velhice’. Mãe, desde tua juventude aprendeste a seguir minha vontade e a submeter todos os seus desejos a mim. Disseste corretamente: ‘Faça-se tua vontade! ’ És como ouro precioso que se estende e esmaga sobre a dura bigorna, porque foste golpeada por todo tipo de tribulação e sofreste em minha Paixão mais que todos os demais. Quando, pela intensidade de minha dor na cruz meu coração se partiu, isto feriu teu coração como afiadíssimo espinho. Terias desejado ser cortada em duas se fosse essa minha vontade. Mesmo se tivesses tido a capacidade de opor-se a minha paixão e suplicado que me fosse permitido viver, não terias querido obter isto, de nenhuma maneira, se não fosse de acordo com minha vontade. Por essa razão, fizeste bem ao dizer: ‘Faça-se tua vontade!’” 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

São Luís prossegue a partir do ponto 30 mostrando que a devoção a Santa Virgem é o que distingue os predestinados dos réprobos, ou seja, quem pertence ao exercito do cavaleiro branco e quem pertence ao exercito da besta (Ap. 19). 

Para esclarecer esse ponto ele inicia uma correlação com Jacó e Esaú, os gêmeos, filhos de Isaac e Rebeca. 

Os predestinados são como Jacó que teve ao seu lado o auxilio de sua mãe e mesmo não sendo assim tão perfeito, alcançou a herança paterna e a benção do pai, com a ajuda da mãe. 

Já Esáu, que era o mais velho, tinha “direito a benção paterna” já que a benção era dada ao primogênito, não contou com a ajuda da mãe e ainda trocou sua herança material por um prato de lentilhas (por coisas passageiras). 

Assim ele confirma dizendo que os predestinados estão sobre a proteção e guarda da Santa Virgem (Ap 12), assim como Jacó foi guardado por Rebeca e terão sua herança e sua benção. 

Isaac era pai de ambos, Jacó e Esaú. Mas somente Jacó amava mais a mãe e era por ela amado e por isso se firmava em seu auxilio junto ao pai. Assim também Deus é pai de predestinados e réprobos, mas os predestinados são os que amam e são amados pela Mãe de Jesus e nossa, e Dela recebem seu auxilio junto a Deus. 

Ela gerou a Cabeça e dela também deve vir os Membros do Corpo Místico de Cristo. 

A formação dos grandes santos, diz o santo, estão a Ela reservados. E ela fará unida ao Espírito Santo grandes coisas. A união da alma a Santa Virgem, que é fecunda, atraí o Espírito Santo que encontra na Santa Virgem meio de fazer em ato grandes obras na alma. 

Depois de explicar a necessidade da Devoção para a salvação da alma, pois o Espírito Santo se aproxima da alma e faz nela grandes coisas e a santifica. O santo demonstra as consequências que esse papel da Santa Virgem no plano da salvação, desde a Encarnação até a santificação das almas, repercute. 

Para isso ele inicia no ponto 37 a primeira consequência, Maria é Rainha dos Corações. Vimos anteriormente o titulo de Rainha do Céu e da Terra, agora vemos outro Rainha dos Corações. 

Como vimos os predestinados estão sobre a proteção e guarda da Santa Virgem e Ela recebeu poder sobre as almas desses eleitos, ou seja, sobre seus corações. 

No ponto 38, vemos toda a graça do Triunfo do Imaculado Coração de Maria. Jesus é Rei por natureza, Ele é Filho de Deus e por conquista, pagou o preço por cada um de nós e por isso seu reino é principalmente no coração. Assim também é com a Santa Virgem, Ela é Rainha por graça sobrenatural que a Trindade Santíssima quis Nela operar, mas principalmente seu reinado é nos corações, na alma. Onde ela reina com Jesus. 

Isso faz a Devoção a Santa Virgem superior a outras Devoções (TVD, 39). 

“Maria estava cheia de graça ao ser saudada pelo Arcanjo São Gabriel” (TVD, 44) 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nota 2: Revelações de Nosso Senhor e Nossa Senhora a Santa Brígida 

“Sou a Rainha do Céu. Ama meu Filho, porque ele é o honestíssimo e quando tens a Ele, tens tudo o que é honesto. Ele é o mais desejável e quando tens a Ele tens tudo o que é desejável. Ama-o também porque Ele é virtuosíssimo e quando o tens, tens todas as virtudes. Vou te contar como foi maravilhoso seu amor pelo meu corpo e minha alma e quanta honra deu ao meu nome. Ele, meu filho, me amou antes que eu o amasse, pois é meu Criador. Ele uniu meu pai e a minha mãe em um matrimonio tão casto que não se pode encontrar nenhum casal mais casto. 

Nunca desejaram unir-se exceto de acordo com a Lei, só para terem descendência. Quando o anjo lhes anunciou que teriam uma Virgem pela qual chegaria a salvação do mundo, antes desejariam morrer do que unir-se em um amor carnal, pois a luxuria estava extinta neles. Asseguro-te que, pela caridade divina e devido à mensagem do anjo, eles se uniram na carne, não por concupiscência, mas contra sua vontade e por amor a Deus. Dessa forma, minha carne foi gerada de suas sementes e através do amor divino. 

Quando meu corpo se formou, Deus enviou nele a alma criada a partir da sua divindade. A alma foi imediatamente santificada junto com o corpo e os anjos a vigiavam e custodiavam dia e noite. É impossível expressar-te que grandíssimo gozo sentiu minha mãe quando minha alma santificada se uniu ao meu corpo. Depois, quando o curso da minha vida se cumpriu, meu Filho primeiro elevou minha alma, por ter sido a dona do corpo, a um lugar mais eminente que os demais, perto da glória de sua divindade, e depois meu corpo, da forma que nenhum outro corpo de criatura esteja tão perto de Deus como o meu. 

Veja quanto meu Filho amou a minha alma e meu corpo! Existem pessoas, entretanto, que maliciosamente negam que eu tenha sido assunta em corpo e alma, e existem outras que simplesmente não tem maior conhecimento. Mas a verdade disso é certa: Fui elevada até a Gloria de Deus em corpo e alma! Escuta agora o muito que meu Filho honrou meu nome! Meu nome é Maria, como diz o evangelho.” 

“Sou a Rainha do Céu, a Mãe de Deus. Eu te disse que devias levar um broche sobre teu peito. Agora te mostrarei com mais detalhes como, desde o principio, quando eu primeiro ouvi e entendi que Deus existia, sempre e com temor estive zelosa sobre minha salvação na observância de seus mandamentos. 

Quando aprendi mais plenamente que o mesmo Deus era meu Criador e o Juiz de todas minhas ações, cheguei a amá-Lo profundamente e estive constantemente alerta e atenta para não ofendê-Lo por palavra ou por obra. 

Quando soube que Ele havia dado sua Lei e mandamentos a seu povo e fez milagres através deles, fiz a firme resolução em minha alma de não amar nada mais a não ser Ele, e as coisas mundanas se tornaram muito amargas para mim. Então, sabendo que o mesmo Deus redimiria o mundo e nasceria de uma Virgem, eu estava tão movida de amor por Ele que não pensava em nada mais a não ser em Deus, nem queria nada fora Dele. Separei-me, no possível, da conversação e presença de parentes e amigos, e dei aos necessitados tudo o que havia chegado a ter, ficando somente com um moderado vestuário e alimentação. 

Nada me agradava a não ser Deus. Sempre esperei em meu coração viver até o momento de seu nascimento, e talvez, aspirar a ser uma indigna servidora da Mãe de Deus. Também fiz em meu coração o voto de preservar minha virgindade, se isso fosse aceitável a Ele, e de não possuir nada no mundo. Mas se Deus quisesse outra coisa, meu desejo era que se cumprisse em mim seu desejo e não o meu, porque acreditei que Ele era capaz de tudo e que Ele só queria o melhor para mim. Por Ele, submeti-lhe toda a minha vontade. 

Quando chegou o tempo estabelecido para a apresentação das virgens no templo do Senhor, estive presente com elas graças à religiosa obediência de meus pais. 

Pensei comigo, que nada era impossível para Deus e que, como Ele sabia que eu não desejava nem queria mais que a Ele, Ele poderia preservar minha virgindade, se isto lhe agradasse, e se não, que se fizesse sua vontade. 

Depois de ter escutado todos os mandamentos no templo, voltei a casa ainda ardendo mais que nunca por Deus, sendo inflamada com novos fogos e desejos de amor a cada dia. Por isso, me separei ainda mais de tudo e estive só noite e dia, com grande temor de que minha boca falasse e meus ouvidos ouvissem algo contra Deus, ou de que meus olhos olhassem algo em que me deleitasse; em meu silencio senti também temor e ansiedade por estar calando sobre algo que deveria falar. 

Com essas perturbações em meu coração, e a sós comigo mesma, encomendei todas as minhas esperanças a Deus. Naquele momento veio ao meu pensamento considerar o grande poder de Deus; como os anjos e todas as criaturas o servem; e como sua glória é indescritível e eterna. 

Enquanto me perguntava tudo isso, tive três visões maravilhosas: Vi uma estrela, mas não como as que brilham no Céu. Vi uma luz, mas não como a que ilumina o mundo. Percebi um aroma, mas não de ervas nem de nada disso, mas indescritivelmente suave, que me plenificou tanto que senti como se saltasse de gozo. Nesse momento, ouvi uma voz, mas não de fala humana. 

Tive muito medo quando a ouvi e me perguntei se seria uma ilusão. Então, apareceu diante de mim um anjo de Deus de uma belíssima forma humana, mas não revestida de carne, e me disse: “Ave, cheia de graça...” 

Particular Perfeição da Vida (TVD, 45) 


Essa plenitude cresceu a cada dia e Ela agora é Tesoureira das graças do céu e as dispensa àqueles que lhe apraz para os tornar santos. Nela recebemos o alimento de ciência e conhecimento e as águas da vida. 

Últimos Tempos 


Ela é a Cidade de Deus. E é em volta dela que os homens andarão para procurar alimento de justiça. 

Apóstolos dos Últimos Tempos 


Quem são? (TVD 47, 56, 57, 58) 

Devotos da Santa Virgem. 

“Esclarecidos pela Luz que Dela vem, pelo seu leite, conduzidas pelo seu espírito, sustentadas pelo seu braço, guardadas sobre a sua proteção, de modo que haverão de combater com uma das mãos e edificar com a outra.” (TVD 47) 

Todo caminho espiritual percorrem com Maria Santíssima, recebem dela os ensinamentos (luz), são formados na alma e no corpo por Ela (leite), recebem dela orientação para onde ir, como proceder e se comportar (conduzidas pelo seu espírito), quando fraquejam são por ela sustentados (braço) e protegidos. 

São “ministros do Senhor”, interessante São Luís usar esse termo, pois, são usadas na tradição para os padres e também para uma ordem angélica chamada Dominações, que são fortes e ajudam os homens a vencerem as tentações. 

São “flechas agudas nas mãos Poderosas de Maria”, vão aonde Ela quer e derrotam os inimigos de Deus. 

São “filhos de Levi”, a tribo de Levi possuía somente Deus por herança, eram os sacerdotes do povo, consagrados. 

E o surgimento deles próprios é um sinal dos fins dos tempos. 

Você encontrará mais informações nos áudios do restante do curso.

Salve Maria Imaculada!

Ana Paula Barros
Se inscreva em nosso canal aqui